Agende sua consulta

Busque o profissional de saúde mais perto de você

Cadastre-se

Portal do Médico

Faça login

Estudo descobre 327 novos genes que determinam hábitos noturnos ou diurnos dos seres humanos

31/01/2019
11:20

Estudo é o maior do tipo: analisou dados de quase 700 mil pessoas. Os cientistas descobriram uma quantidade significativamente maior de fatores ligados a quando as pessoas dormem e acordam do que se sabia anteriormente.

Um nova pesquisa científica analisou dados coletados por meio de um site de testes de DNA e de um "biobanco" britânico para entender as razões de algumas pessoas terem hábitos diurnos e outras, noturnos. O estudo, publicado nesta terça-feira (29) na revista "Natura Communications", descobriu 327 novos genes que desempenham esse papel.

"Este estudo é importante porque confirma que a preferência pela manhã ou pela noite é, pelo menos em certa medida, determinada por fatores genéticos", disse Michael Weedon, professor de Medicina na Universidade de Exeter, que liderou a pesquisa.

O estudo é o maior do seu tipo – analisou dados de quase 700 mil pessoas – e descobriu que uma quantidade significativamente maior de fatores genéticos está ligada a quando as pessoas dormem e acordam do que se sabia anteriormente.

A fase inicial da pesquisa envolveu a análise dos genes de pessoas que se autodeclararam como "pessoa diurna" ou "pessoa noturna".

Como esses termos podem significar coisas diferentes para cada pessoa, os pesquisadores examinaram um conjunto menor de participantes que estavam usando rastreadores de atividade.

Os pesquisadores analisaram informações dos rastreadores de mais de 85 mil participantes no Biobank do Reino Unido para encontrar dados objetivos sobre seus padrões de sono.

Eles descobriram que os genes que identificaram poderiam mudar o tempo de vigília natural de uma pessoa em até 25 minutos, mas não havia ligações aparentes entre os genes e por quanto tempo ou quão bem as pessoas dormiam.

'Pessoa da manhã'

O estudo também analisou por que certos genes influenciam o horário em que as pessoas dormem e acordam, encontrando diferenças na forma como o cérebro reage à luz e no funcionamento dos relógios internos.

Para testar teorias de longa data sobre as ligações entre os padrões de sono e certas doenças, os pesquisadores também buscaram a correlação entre genes "matutinos" e "noturnos" e vários distúrbios.

Eles descobriram que uma inclinação genética para dormir e acordar mais cedo parece estar ligada a um menor risco de depressão e esquizofrenia, além de um bem-estar maior.

No entanto, Weedon admitiu que não ficou claro imediatamente se a ligação foi o resultado direto de ser uma "pessoa da manhã", ou causada pelo fato de que os madrugadores têm uma vida mais fácil no ambiente de trabalho de 9h às 17h.

Os pesquisadores planejam investigar se "geneticamente as pessoas noturnas têm resultados piores se estiverem ativos pela manhã, em comparação àquelas cuja genética e atividade estão alinhadas", disse.

O estudo não encontrou evidências de uma ligação causal entre genes que afetam os tempos do sono e doenças metabólicas, como o diabetes tipo 2.

Mas pesquisas futuras irão analisar a questão em indivíduos cujas inclinações naturais do sono são incompatíveis com seus estilos de vida.

"Por exemplo, indivíduos que são geneticamente noturnos mas têm que acordar cedo devido a compromissos de trabalho são particularmente suscetíveis à obesidade e diabetes?", questiona o estudo.

Fonte: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/01/29/estudo-descobre-327-novos-genes-que-determinam-habitos-noturnos-ou-diurnos-dos-seres-humanos.ghtml

+ Notícias


22/07/2019 08:40

Por que o 'Viagra feminino' é tão polêmico

  • 22/07/2019 08:32

    Regras de trabalho para médicos plantonistas

  • 22/07/2019 08:27

    Novo tipo de implante restaura parcialmente a visão de deficientes visuais

  • 19/07/2019 09:13

    Gripe, diabetes e até medicamentos podem provocar surdez súbita

  • 19/07/2019 08:49

    Relação entre Diabetes Melitus tipo 2 e Insuficiência Cardíaca

  • 19/07/2019 08:45

    Cafeína pode estimular a produção do tecido adiposo marrom e ajudar no combate à obesidade

  • 19/07/2019 08:42

    Homem descobre foto da própria perna amputada em pacote de tabaco


Carregando